Lente implantada na córnea é uma solução para presbiopia

08:23 Simone Bello 0 Comentários

Fenômeno natural que ocorre com a visão a partir dos 40 anos, a presbiopia é a perda da capacidade de acomodação ocular, ou seja, o olho perde gradualmente a capacidade de focalizar as distâncias de longe, intermediárias e de perto. Este é um desconforto que a ciência tem tentado corrigir através dos tempos.

Muitas têm sido as soluções propostas, e cada uma tem suas peculiaridades e indicações. As lentes de contato com a tecnologia da monovisão ou as lentes multifocais têm beneficiado um grande número de pessoas.

No evento da Sociedade Americana de Cataratas e Cirurgia Refrativa, o ASCRS 2012, ocorrido entre 20 e 24 de abril, em Chicago, foi apresentada a última novidade na correção da presbiopia: a Lente de Implante Intra Estromal Corneal, denominada FLEXIVUE MICROLENS.

Segundo a oftalmologista Tania Schaefer, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria, esta lente já tem sua correspondente no Brasil, e conta com aprovação da ANVISA. "É uma lente de apenas 3 mm de diâmetro e 15 mile micras de espessura colocada no estroma corneal, com a finalidade de corrigir a presbiopia", explica Tania.

Segundo a oftalmologista, o implante desta lente é um procedimento que demanda a utilização do Fento Segundo Laser, um procedimento que consiste em fazer uma bolsa, que abrigará a lente em seu interior, mantendo-a estável e fixa no centro da córnea.

 A oftalmologista Cinthia Oyama, membro da Sociedade Americana de Cirurgia Refrativa, reitera que esta lente não é retirada pelo paciente, como acontece com as lentes de contato. Trata-se de outra filosofia de adaptação. "Ela é fixa no interior da córnea, e não corre o risco de cair ou perder. No entanto, com a evolução do grau da presbiopia, o oftalmologista poderá substituí-la por outra de grau mais elevado, em um procedimento rápido e seguro", destaca a médica.

Existem indicações específicas para o implante destas lentes, que vão depender das condições de cada paciente, e apenas o exame oftalmológico poderá definir quem poderá ou não ser submetido a este procedimento.

Fonte: NCA Comunicação

Você também pode gostar de:

0 comentários: