Música, Circo e Percussão visitam o Hospital Pequeno Príncipe

16:00 Simone Bello 0 Comentários

No próximo dia 16, quinta-feira, as crianças internadas no Hospital Pequeno Príncipe terão a oportunidade de brincar de percussão, fabricando seus próprios instrumentos. O arte-educador Fábio Mazzon irá levar ritmo e movimento através de tambores coloridos e divertidos. A atividade é promovida pela Parabolé – Educação e Cultura, que oferece semanalmente (de março a agosto) atividades artísticas, como Música, Circo e Percussão às crianças internadas no hospital.

Nos dias 23 e 30 de agosto, Nélio Spréa, Renata Melão e Levi Brandão envolverão os pacientes com a magia da música, com letras que abordam a história de crianças em hospitais. O objetivo é promover dinâmicas de socialização, estimulando o exercício da afetividade e da criatividade.

A iniciativa, que é fruto de uma parceria com o Setor de Cultura e Educação do hospital, colabora com a melhoria do bem-estar dos pacientes. É o que conta Marília Telma, mãe de Lucas Vazeles, 8 anos. No dia em que seu filho estava internado, ele participou da atividade de Circo. “Assim que o professor entrou no quarto fazendo malabares o Lucas ficou encantado. E as dores que estava sentindo, devido à cirurgia, passaram”, conta Marília.

Para Nélio Spréa, arte-educador e coordenador pedagógico da Parabolé, a ligação entre Educação e Cultura pode trazer muitos benefícios ao bem-estar das crianças hospitalizadas. “Ações com cunho artístico e cultural ampliam a sensibilidade, trazendo novas referências e reavivando os sonhos”. No dia da atividade circense, muitos pacientes fizeram questão de se divertir, como Fabiele Vitória Fortes, 10 anos. Ela diz que sempre participa das programações do hospital, mas que foi a primeira vez que brincou na oficina de Circo. “Fico com o coração feliz, mais leve”. Spréa explica que realizar um projeto dentro de um hospital é enriquecedor. “Essas ações favorecem a consolidação de um espaço de aconchego onde, através de propostas lúdicas e artísticas, pais e filhos se aproximam ainda mais”.

Para a Supervisora do Setor de Educação e Cultural do Hospital Pequeno Príncipe, Maria Gloss, os momentos de interação com a Parabolé têm sido de puro encantamento. “Pacientes e pais são convidados a interagir, a participar de brincadeiras musicais, cênicas, de contação de causos.

Nestes momentos todos ficam maiores, passam de pacientes a agentes”. Sobre a Parabolé – Educação e CulturaHá 7 anos, a Parabolé desenvolve projetos culturais que apresentam interesse educacional e social. Um dos objetivos é a revitalização do espaço escolar e a divulgação da cultura brasileira em instituições de ensino. Oficinas de música, cursos e palestras para educadores, espetáculos teatrais e os projetos Tetear e PLÁ são algumas das ações realizadas pela equipe de profissionais, que leva para dentro das escolas histórias da tradição oral, canções e danças regionais, desafios, jogos, festividades, brincadeiras, formas de expressão típica, personalidades e saberes que se originam na vida cotidiana da sociedade.

Fonte: Jornalista Brisa Teixeira e Patrícia Mello

Você também pode gostar de:

0 comentários: